Resenha

[Resenha] Lutar é crime, de Bell Puã


Olá, aventureiros!

Vamos falar sobre poesia? Lutar é Crime, da Isabella Puente de Andrade, conhecida como Bell Puã, é um daqueles livros que TODO MUNDO precisa ler! Recebi em parceria com a editora Letramento e nós vamos conversar sobre a importância dessa leitura.

Lutar é crime

Autora: Bell Puã
Editora: Letramento
Páginas: 86
Onde encontrar: https://amzn.to/2XpeQ8R


As poesias abordam diversos temas sociais sobre os quais devemos refletir e pôr em debate sempre. A poeta fala sobre o lugar de fala da mulher, sobre a exploração, sobre racismo, sobre machismo, dentre outras pautas importantes.

Sobre o título do livro, que é bem curioso, inclusive, a autora fala que “o título da obra entende que amar e lutar são verbos complementares, onde a atual realidade do Brasil cada vez mais engaiola o direito de reagir às desigualdades. Se lutar é crime, a expressão de condenada é, afinal, o que me liberta”.

A poeta muito se inspirou no grande escritor contemporâneo Marcelino Freire. É ele que assina o primeiro texto do livro, com o título Vamos à Luta.

Foto por: Kelly Cominoti (Aventuras na Leitura)

Dividido em duas partes (Peso e Contrapeso), as poesias trazem inúmeras reflexões para o leitor. Já na primeira poesia, a poeta propõe uma reflexão sobre a palavra “negro”, que acabou sendo usado como termo pejorativo: “humor negro”, “mercado negro”, “lista negra” são utilizados para se referirem a coisas ruins. Já “inveja branca”, “alma branca” são tidas como coisas positivas. Eu já tinha visto na última edição do BBB um debate interessantíssimo sobre esse assunto e desde então me ponho a refletir. Mesmo não sendo meu lugar de fala, é de suma importância pensar sobre o assunto.

Bell Puã insere contextos políticos e históricos em suas poesias. Uma das minhas favoritas é 12 de outubro de 1999. Leiam um trecho:

tá ligado que
combatemos
e também caímos
no jogo das
relações de poder?

de que serve
teu conhecimento,
senão para alento
dum frustrado professor
a esperança adormecida
humildade perdida
num título de doutor?

É interessante ressaltar que a linguagem das poesias é coloquial. A poeta utiliza gírias e bordões também.

A poeta destaca muito em suas poesias questões sociais. Aborda temas como desigualdade social, trabalho infantil, racismo, entre outros. Ela também destaca diversos elementos da cultura latino-americana, o que me chamou muita atenção.

Foto por: Kelly Cominoti (Aventuras na Leitura)

No poema intitulado Slam I, Bell Puã destaca o caso Rafael Braga, que foi o único preso durante as manifestações de 2013. Preso porque era negro, da periferia. O preconceito desmascarado! Foram anos tentando lutar pela sua liberdade. Bell Puã destaca esse preconceito e faz uma comparação com o filho de uma desembargadora que, mesmo cometendo crimes e infringindo a lei, permaneceu em liberdade. Leiam um trecho deste poema:

(…)
‘pra morrer desse jeito
alguma coisa ele fez’
seu maior crime foi ser negro
da periferia
como Rafael Braga
condenado a 11 anos de xadrez
sabe o que ele não fez?
nascer filho de desembargadora
podia portar 120kg de droga
AK 47 e metralhadora
que tava solto no mundo
mais um criminoso rico
rindo à toa.

Além da cultura latina, a poeta traz traços da cultura recifense, local onde nasceu.

Foto por: Kelly Cominoti (Aventuras na Leitura)


Espero que tenham gostado! Fica a minha super indicação de leitura! 
Por
Kelly Cominoti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s